29/09/13

Vi ... olhei ... gostei e confecionei ...Bife à Santa Beatriz

 Hoje o meu jantar foram uns bifes à Santa Beatriz que vi no blog da Nel Catalão .
Muito gostosos, sem dúvida alguma.  



Ingredientes:

- 3 bifes da vazia (usei 6 pequeninos do redondo)
- 1 café expresso
- Margarina q.b
- Mistura de pimentas Suldouro , q.b 
- Flor de sal Necton , q.b
- 1/2 pacote de  natas

Preparação:

Tempere a carne com flor de sal e pimenta;
Frite-a em margarina com o lume forte para dourar e ficar mal passada no interior.
Junte as natas e o café.
Deixe o molho engrossar.

Um pedido especial .... Arroz Doce

Boa tarde. Ontem o meu marido pediu-me para lhe fazer arroz doce. Estava a apetecer--lhe. Pois bem, não foi ontem, mas sim hoje de manhã que o fiz.
Satisfiz-lhe a vontade.
Fiz a receita de que mais gosto - a da minha mãe - e do modo que mais gosto - no TACHO.
Confesso que não gosto de arroz doce feito na bimby. 




 Ingredientes:
 
- 2 medidas de arroz Carolino Bom Sucesso 
- 4 medidas de água
- Leite gordo de preferência, q.b. (usei praticamente 1 litro)
- 1 pudim flan instântaneo
- 1 pitadinha de sal necton
- 1 pau de canela
- 3 cascas de limão
- Açúcar a gosto (fui deitando até estar ao meu gosto)
 
Preparação Tradicional:
 
Num tacho anti-aderente leve ao lume o arroz com o dobro da água e uma pitada de sal. Quando a água evaporar acrescente o leite, o açucar, o pau de canela e a casca de limão. Vá acrescentando mais leite se necessário e mexendo COM UM GARFO.
No fim de bem cozido, misture o pudim desfeito num pouco de leite e deixe ferver.
Retire o pau de canela e a casca de limão e deite em taças individuais.
Polvilhe com canela.
 

 

25/09/13

Quando um café se transforma em .... queques !

Ontem o meu filho P disse-me que tinha saudades de queques e eu fiz-lhe disse: amanhã faço queques filho; queres de quê?
- de coco mãe, são os preferidos mas faz também uns de que o mano goste.
É uma ternura ver quão amigos eles são.
Pois bem, fiz os de coco, cuja receita já se encontra aqui e uns novos de café pois o meu filho J adora esta bebida (e eu também).
Aqui fica a receita destes então.


Ingredientes :


- 2 cafés expresso
- 170 gramas de margarina derretida
- 170 gramas de açúcar
- 170 gramas de farinha com fermento
- 3 ovos
 
Preparação na Bimby :
Deite todos os ingredientes, excepto o café, no copo da bimby e bata até obter uma mistura homogénea 30 segundos na velocidade 5. Adicione o café e misture mais 30 segundos na velocidade 3.
Forre formas de queques com forminhas de papel e divida a massa por elas. Leve a cozer em forno pré-aquecido a 170 ª durante cerca de 25 minutos.

Preparação tradicional :
Numa taça misture os ovos com o açúcar e a margarina derretida. Bata com a batedeira até obter um creme esbranquiçado. Junte o café e envolva bem.
Por fim adicione a farinha e envolva novamente.
Forre formas de queques com forminhas de papel e divida a massa por elas. Leve a cozer em forno pré-aquecido a 170 ª durante cerca de 25 minutos.

20/09/13

Parceiro Doce - Du Bois de La Roche

Olá. Este meu cantinho iniciou uma parceria com a Du Bois, o que me deixou muito contente.
 
Vou deixar-vos uma breve apresentação da empresa para que fiquem a conhecer um pouco mais a sua história.
 
O que me enviaram :
- Allumettes  
 
"A Du Bois de la Roche é uma empresa de origem francesa empenhada em conservar a tradição e valores familiares. Com sede em Portugal desde 1980 é especializada no fabrico de biscoitos folhados. A empresa tem conquistado, ao longo dos anos, um nível de reconhecimento que lhe permitiu a criação de uma identidade muito própria e profundamente enraizada nos mercados onde se encontra presente.
A empresa tem conquistado, ao longo dos anos, um nível de reconhecimento que lhe permitiu a criação de uma identidade muito própria e profundamente enraizada nos mercados onde se encontra presente.
O seu dinamismo empresarial, aliado a um profundo conhecimento da indústria Agroalimentar, tem permitido à Du Bois de la Roche acompanhar as tendências do seu setor de atividade e responder de forma eficiente aos desafios que lhe são colocados.
A empresa procura, assim, melhorar continuamente oferecendo produtos de qualidade adaptados às exigências dos consumidores."
 "O fundador da empresa, José Louis Dubois iniciou um negócio familiar de produção de bolachas numa pequena vila francesa com o nome de Le Bois de la Roche, próximo da cidade de Angoulême, nos anos 50.
Antecipando o crescimento económico que Portugal viria a conhecer nesta década, a família Dubois abriu no norte de Portugal (Maia), a sua primeira fábrica no exterior do território Francês.
Os anos 90 ficam marcados pela modernização do tecido comercial português através da abertura de várias redes de supermercados e hipermercados, nos quais a Du Bois de la Roche marca presença de forma incontornável.



Em 2013, com mais de 1/3 do volume de faturação à exportação, a Du Bois de la Roche continua a ter uma visão estratégica global, investindo em novos processos, de modo a ganhar a confiança dos seus consumidores e clientes e a enfrentar os desafios que lhe são apresentados no dia a dia."

Contactos da Empresa:

E-mail: dubois.portugal@duboisdelaroche.pt

Morada e telefone :

Du Bois de La Roche (Portugal), Agroalimentar, Lda.

Zona Industrial Maia I – Sector VII – Rua de Joaquim Silva Vicente

Apartado 3028 – 4471-907 Moreira da Maia – Portugal



Tel: +351 22 943 7130 Fax: +351 22 943 7139

Coordenadas GPS: 41º15'07''N 08º38'02''W   
 
Um agradecimento especial à D. Iolanda Leal.


18/09/13

Produtos de Agosto - Margão

Olá. Recebi os produtos da Margão referentes ao mês de Agosto de 2013, a propósito da nossa parceria.
Fiquei muito contente e agradeço à Sofia Alcobia.
Aqui está os que me enviaram :
As Ervas de Provence são uma mistura francesa de ervas, originária da região francesa da Provença, tais como: tomilho, alecrim, segurelha, oregãos, e alfazema. O seu sabor é apimentado.
Acentua o sabor de grelhados, guisados de carne, molho de tomate, patés e picados
Mistura de ervas seleccionadas, como a salsa, cebolinho e estragão. Ideal para aves de capoeira, peixes e saladas.
Aproveite a gordura de fritar os bifes, junte natas e ervas frescas. Mexa até o molho ficar cremoso.

As Especiarias invadiram a minha cozinha - Suldouro

Boa tarde a todos. Hoje chegou-me a casa uma simpática e útil oferta do meu mais recente parceiro - a Suldouro .
Muito gentilmente o sr. José António Mendes fez chegar a minha casa um sortido das especiarias desta empresa.
"A Navires nasce em 1971, mais precisamente no dia 8 de Setembro, quando Adão Gonçalves, José Brito Mendes e Agostinho Silveira após mais de 25 anos a trabalhar em empresas do ramo, decidem que está na hora de tentarem também eles a sua sorte. Alugam um Rés do Chão, com cave, na Rua José Mariani, 480, em V. N. de Gaia, com pouco mais de 300m2 e assim começam a trabalhar.
O principal sempre foi as especiarias mas no arranque outros produtos como café, cevada e pastilhas elásticas também ajudaram a fazer volume de trabalho e facturação.
Nos anos 80 as soluções de espaço foram sendo inventadas e a imagem da marca Suldouro sofria as primeiras alterações, tentando acompanhar as cada vez maiores solicitações do mercado em que já despontavam as grandes superfícies.
Em 1995, finalmente novas instalações, com condições que permitiram automatizar o ciclo de empacotamento, armazenar matéria prima nas quantidades entendidas como convenientes, desenvolver novos produtos, modificar embalagens não só a nível de design como de funcionalidade, adquirir novos equipamentos enfim equipar uma empresa para o início do novo século que se aproximava."

Podem contactar a empresa de diversos modos :

Instalações : 


Navires - Sociedade Nacional de Víveres, LdaRua das Lages 480
Zona Industrial de S. Caetano
4410-272 Canelas
PORTUGAL


Telefone :
Tel: +351 22 712 56 57
Fax: +351 22 712 56 58



Como chegar

Vindo de Norte, utilizando a VCI, após atravessar a Ponte do Freixo, cortar na 3ª saída, para A29, direcção a Espinho. Utilizar a 3ª saída em direcção a Canelas. Seguir a seta que indica S. Caetano. As nossas instalações estão 200 m à frente.
Vindo do Sul, pela A1, após a portagem dos Carvalhos, seguir as indicações de Ponte do Freixo, IC1. A 1ª saída é para A29, direcção Espinho. Utilizar a 3ª saída em direcção a Canelas. Seguir a seta que indica S. Caetano. As nossas instalações estão 200 m à frente.

 
Facebook:
https://www.facebook.com/pages/Suldouro-Navires/282742885189087?fref=ts

A Suldouro enviou-me este cabaz :

 
Depois de arrumadinhas nas caixinhas :


 

16/09/13

Uma salada assim só podia ser Paladin !!


Boa tarde. Foi com muito agrado que recebi o convite da PALADIN para participar no seu passatempo «Marmita Paladin» e foi escolhi esta receita para o efeito.
Conto com o vosso apoio para irem à página deles votar  aqui: https://www.facebook.com/Paladin.pt/posts/511307628959226 .
Obrigada.
 
 
Ingredientes :
 
 (para 4 pessoas)

 
 
- 18 palitos de delícias do mar

- 2 ovos cozidos tamanho L ou 3 tamanho M

- Meio ananás natural ou 1 lata de ananás em pedaços


- Vinagre q.b.
 
 

Preparação:

Num tacho com água e sal meta os ovos lavados. Leve ao lume e após levantar fervura, deixe-os cozer 15 minutos.

Entretanto, usando um ralador, rale as delícias para uma taça. Corte o ananás aos pedacinhos pequenos e junte às delícias raladas.

Descasque os ovos e rale-os também. Envolva tudo.

Numa tigela à parte faça o molho rosa juntando maionese, ketchup e um pouco de vinagre branco (as quantidades dependem do gosto pessoal. mas tomemos como exemplo 6 colheres de sopa de maionese, 2 de ketchup e 1 colher de sopa de vinagre).

Se necessário tempere o molho com sal e pimenta.

Junte o molho à mistura anterior e misture bem Se necessário faça mais um pouco de molho.

Leve ao frigorífico para refrescar até à hora de servir.

Bom apetite.

11/09/13

Tarte de Figos Frescos

Resolvi experimentar fazer uma tarte de figos frescos. Confesso que não foi experiência que me agradasse muito, quer em termos de sabor pois o recheio fica com um travo amargo (dos figos?), quer em termos de consistência pois fica também muito líquido, demora muito tempo a cozer e no fim a tarte fica boa para comer... à colher.
Mas, aqui fica na mesma a receita.


Ingredientes:

- 1 1/2 chávena de figos lavados e picados
- 2 colheres de sopa de açúcar
- 2 colheres de sopa de agua
-  1 lata de leite condensado
- 1 colher de sopa de maizena
- Meia lata (a mesma do leite condensado) de leite
- Meio pacote de natas
 
Preparação  Bimby :
 
Forre uma tarteira com uma base de massa folhada ou quebrada (usei das de compra). Pique a massa com um garfo. leve 5 minutos ao forno pré-aquecido.
Coloque os figos, sem o "pé"  lavados e cortados ao meio e reduza a puré, 10 segundos na velocidade 5/7.Junte a água e o açúcar e programe 10 minutos, temperatura 70º C, velocidade colher.
Retire e reserve.
No copo limpo, deite o leite condensado, o leite e a maizena e programe 13 minutos, temperatura 90º C, velocidade 4.
Misture as natas, 5 segundos na velocidade 5.
Deixe arrefecer e junte a calda dos figos. Misture bem.
Deite o recheio na forma com a massa e leve ao forno 30 minutos a 180º C. Retire a tarte e coloque por cima rodelas de figos frescos. Torne a levar ao forno até cozer.
Preparação  tradicional :
Forre uma tarteira com uma base de massa folhada ou quebrada (usei das de compra). Pique a massa com um garfo. leve 5 minutos ao forno pré-aquecido.
Numa panela coloque os figos, o açúcar e a água e leve ao lume baixo durante 10 minutos, até obter uma calda. Reserve.
Noutra panela, leve ao lume médio o leite condensado e a maisena dissolvida no leite, mexendo ate engrossar. Retire do fogo, misture o creme de leite e deixe arrefecer. Acrescente a calda reservada e mexa ate incorporar.
Deite o recheio na forma com a massa e leve ao forno 30 minutos a 180º C. Retire a tarte e coloque por cima rodelas de figos frescos. Torne a levar ao forno até cozer.
 

10/09/13

Recordar bons tempos... Línguas de Sogra

É engraçado como muitas vezes as coisas de que gostamos nos passam ao lado. É o caso destes bolos cuja receita me passou pela vista mas não a cativou e só por causa da fotografia que a minha amiga Brizida serrano publicou no facebook e que por acaso a minha irmã viu e partilhou comigo com uma chamada de atenção.
De facto esta receita vem publicada na revista "Momentos de Partilha" de Abril de 2013 mas com o nome de Pão Doce de Canela.Nunca mais associava ao nome "Línguas de Sogra" se não fosse uma outra amiga, a Gisela capucho, comentar que também se chamavam assim.
É caso para dizer... tão perto e tão longe, pois todos os meses eu compro a revista e a receita esteve sempre aqui perto de mim.
Pronto, hoje tive que ir experimentar a fazer para ver se realmente o gostinho se assemelha aos belos bolos que me faziam rejubilar quando me eram comprados nas padarias. E, sei de alguém que também os vai fazer hoje... a minha irmã pois está claro.


 
Ingredientes :  
 
- 300 gramas de leite
- 25 gramas de fermento de padeiro fresco
- 1 colher de chá de canela
- 150 gramas de manteiga
- 50 gramas de açúcar (meti 60), mais q.b. para polvilhar
- 1 ovo
- 1 pitada de sal
- 600 gramas de farinha tipo 65
 
Preparação Bimby :
 
Coloque no copo o leite, o fermento e a canela e aqueça 1 minuto e meio, temperatura 37º C, velocidade 2.
Adicione a manteiga, o açucar, o sal, o ovo e a farinha e amasse 2 minutos na velocidade espiga.
Retire, abafe e deixe levedar cerca de 1 hora ou até a massa dobrar de volume.
Com as mãos enfarinhadas, divida a massa em 8 porções com aproximadamente 100 gramas cada uma.
Numa superficie polvilhada com açúcar, forme rolos com 40 cm de comprimento, pressione-os e coloque-os sobre um tabuleiro de forno forrado com papel vegetal UNTADO.
 
Deixe levedar cerca de uma hora. Polvilhe-os com canela (opcional).
Leve ao forno pré-aquecido a 200º C cerca de 18 minutos ou até dourar.
Retire, corte de seguida cada tira em 4 partes e deixe arrefecer sobre uma grelha.
 
Preparação tradicional :
 
Derreta o fermento e a canela no leite quente. Deite numa taça e junte  a manteiga, o açucar, o sal e o ovo. Misture bem com a batedeira ou com um fuet.
Junte a farinha e amasse bem a massa com as mãos e numa superficie polvilhada com farinha, até incorporar tudo.
Retire, abafe e deixe levedar cerca de 1 hora ou até a massa dobrar de volume.
Com as mãos enfarinhadas, divida a massa em 8 porções com aproximadamente 100 gramas cada uma.
Numa superficie polvilhada com açúcar, forme rolos com 40 cm de comprimento, pressione-os e coloque-os sobre um tabuleiro de forno forrado com papel vegetal.
Deixe levedar cerca de uma hora.
Leve ao forno pré-aquecido a 200º C cerca de 18 minutos ou até dourar.
Retire, corte de seguida cada tira em 4 partes e deixe arrefecer sobre uma grelha.
 
 
 

09/09/13

Quando nos esquecemos de coisas simples e deliciosas como ... Leite Creme

Bem, quando reparei hoje que esta receita ainda não se encontrava no blog, não podia acreditar.
Falo tanta vez e é tão maravilhosa que não percebo como estava esquecida.
Bem... aqui fica ela.
 
 
Ingredientes :

- 1000 g leite
- 6 gemas de ovo
- 200 gramas de açúcar
- 40 gramas de maizena ou 60 gramas de farinha
- Casca de 1 limão, só a parte amarela
- 1 pau de canela
 - Açúcar mascavado p/ polvilhar

  
Preparação :

Junte todos os ingredientes pela ordem indicada excepto a casca de limão e o pau de canela, programe 15 segundos na velocidade 3,5.  
Adicione os restantes ingredientes e programe 12 minutos, temperatura 90º C, velocidade 2 ½. Retire a casca do limão e o pau de canela e deite de imediato para uma travessa ou em taças individuais.
Deixe arrefecer antes de servir, polvilhe com bastante açúcar mascavado e queime a superfície com um ferro quente.
 
 
 
Preparação tradicional :
 
Deite num tacho anti-aderente, o açúcar e o as gemas e misture bem. Junte o leite, pouco a pouco mexendo sempre .  Adicione a maizena ou a farinha dissolvidas num pouco de leite, a casca do limão e o pau de canela. Leve ao lume brando e mexa até engrossar.
Retire a casca do limão e o pau de canela e deite de imediato para uma travessa ou em taças individuais.
Deixe arrefecer antes de servir, polvilhe com bastante açúcar mascavado e queime a superfície com um ferro quente.
 
Notas: Polvilhe e queime só as porções de leite creme que vai consumir, caso contrário a açúcar começará a derreter e a formar uma "capa" de liquido na taça.




08/09/13

Raffaello - bombons de coco e avelã

Bem, os meus filhos adoram Raffaello (e a mãe também!!!). Andavam ao tempo a pedir-me para fazer estes bombons mas resolvi fazer uma receita diferente para experimentar.
E a opinião dos meus filhos foi : "NHAMI" (o que significa que gostaram muito).

A receita original está aqui .
  
Ingredientes :  


- 100 gramas de margarina à temperatura ambiente

- 150 gramas de açúcar em pó

- 200 gramas de leite em pó 

- 50 ml de leite

- 150 gramas de coco ralado

- Avelãs q.b.


Preparação Bimby :

Deite o açúcar no copo da bimby e pulverize 15 segundos na velocidade 9. Junte o leite em pó e a margarina e misture 20 segundos na velocidade 4.

Adicione o leite e o coco e misture uns 10 segundos na velocidade 3 ou 4.

Transfira para uma tigela, cubra com pelicula aderente e leve ao frigorifico durante 20 minutos.


Findo o tempo, molde bolinhas, coloque uma avelã no centro e passe pelas restantes 50 gramas de coco ralado.
 


Preparação Tradicional :

Com um garfo, misture a margarina com o açúcar e leite em pó. Acrescente o leite e 100 gramas de coco ralado e junte tudo com as mãos.

Cubra com pelicula aderente e leve ao frigorifico durante 20 minutos.

Faça bolinhas,  coloque uma avelã no centro e passe as bolinhas  nas  50 gramas de coco ralado restante.  



Notas: Não use manteiga, pois a textura e o sabor ficarão alterados.
                O melhor leite em pó para estes bombons é o NIDO.

07/09/13

Creme estilo Nutella

Olá.
Experimentei fazer Nutella em casa pois os meus filhos são viciados. Acho que todas as crianças (e alguns adultos também) gostam.
Vi esta receita e foi mesmo a que experimentei. Há quem lhe chame a "Nutella Perfeita" mas, pessoalmente, acho que ficava melhor se não tostar as avelãs.



 Ingredientes :

- 100 gramas de açúcar em pó
- 200 gramas de miolo de avelã
- 90 gramas de chocolate com 52% de cacau
- 40g de chocolate branco
- 55 gramas de óleo de girassol
- 75 gramas de leite gordo (pode ser meio gordo)
- 75 gramas de natas

 
 
Preparação :
 
Tostar as avelãs no forno por 5 a 7 minutos e reservar (180 graus função grill)
Pulverizar o açúcar 30 seg na velocidade 9. Juntar as avelãs, fechar o copo, programar a bimby  10 minutos e aumentar a velocidade progressivamente do 1 ao 6 ½ .
 As avelãs vão soltar o óleo e vai formar uma pasta liquida junto ao açúcar (vá baixando o que fica nas paredes do copo com a ajuda da espátula).
Adicione os quadrados de chocolate , ligue  20 segundos e aumente a velocidade rogressivamente até o 9. No final, descer a mistura das lateraise também da tampa  com a ajuda da espátula .
Juntar o óleo, leite e natas. Programar 3 minutos na temperatura 50º C, velocidade 2. Descer a mistura das paredes com a espátula e ligar mais 15 a 20 segundos na velocidade 5.
 
Levar 2 horas ao frigorífico.

06/09/13

Só podia ser arroz.... Bom Sucesso :)

Boa noite. E porque já há tempo que não publico aqui uma receita feita com o belo do arroz Bom Sucesso , não porque não o consuma muito regularmente cá por casa, mas porque a maior parte das vezes não tiro fotografia quando se trata de algo simples, como um arroz de manteiga, deixo aqui as fotos de algumas delícias que já fiz com este arroz.
- Arroz  Enformado
- Almondegas de Arroz Carolino
- Arroz de Alheira
- Arroz de limão
- Risotto de camarão e mascarpone
- Arroz 3 delícias
- Arroz de tamboril e camarão
- Arroz de frango
- Arroz picante de camarão
- Pasteis de arroz
- Arroz doce

Bolo pega marido

Olá, já tinha ouvido falar tanta vez do bolo Pega Marido, que tive que experimentar fazer.
Confesso.... não me seduziu. Talvez porque fica um bolo enqueijado; quem sabe porque é pouco doce... não sei, só sei que me desiludi e acho que a experiência fica por aqui e não se torna a repetir.


Ingredientes :

- 1 lata de leite condensado
- A mesma medida da lata de leite
- A mesma medida da lata de farinha de trigo
- 1/2 medida da lata de açúcar
- 1 lata pequena de leite de coco (200 ml)
 - 3 ovos L inteiros
- 3 colheres de sopa de margarina

Preparação :

Deite tudo no copo da bimby e bata 2 minutos na velocidade 3. Leve ao forno a 200º C numa forma untada e enfarinhada.
Coza até dourar, 30 a 60 minutos (depende do forno).
Faça o teste do palito para verificar a cozedura.

Preparação tradicional :

Deite tudo num liquidificador e misture.
Leve ao forno a 200º C numa forma untada e enfarinhada.
Coza até dourar, 30 a 60 minutos (depende do forno).
Faça o teste do palito para verificar a cozedura.


Nota :  Para fazer uma cobertura leve ao lume 1 lata de leite de coco, 2 colheres de sopa de açúcar e meio pacote de coco ralado. Deixe ferver e coloque quente sobre o bolo.

03/09/13

Creme de leite condensado com café

Boa tarde. No outro dia andei a dar volta às minhas revistas Momentos de Partilha, revista oficial da Bimby e encontrei esta receita que me pareceu ter tudo para me agradar mas confesso ter ficado um pouco desiludida.
Para a próxima vez acho que farei algumas pequenas alterações tais como não colocar açúcar e programar menos tempo na confecção para não ficar tão espesso.
Este creme foi uma das receitas vencedoras do passatempo "Doces Momentos Nestlé com a Bimby" e veio na revista de Dezembro de 2012.
Façam o favor de se servirem.
 
 
Ingredientes : 

- 250 gramas de café preparado (eu usei cafés expresso, acho que 4)
- 10 gramas de licor de whisky
- 4 ovos
- 370 gramas de leite condensado
- 50 gramas de açúcar (para a próxima não meto)
- 30 gramas de amido de milho (também irei reduzir a quantidade para 20 ou 25)
- Amêndoa laminada torrada q.b. para polvilhar

Preparação:
 
Coloque no copo da bimby o café, o açúcar (se usar), os ovos, o leite condensado, o amido de milho e o licor e programe 15 minutos (acho que para a próxima 10 minutos devem chegar), temperatura 90º C, velocidade 3,5.
Coloque num recipiente, deixe arrefecer e leve 30 minutos ao frigorifico. Sirva polvilhado com a amêndoa.

02/09/13

Batatas salteadas com bacon

Hoje para o jantar houve uns escalopes ultrafinos de perú passados em manteiga, acompanhados por umas batatinhas com bacon.
Simples mas delicioso.
Ingredientes:

- 5 batatas 
- 2 colheres de sopa de azeite
- 2 colheres de sopa de vinagre de cidra
- 1 embalagem de fatias de bacon
- 1 pitada de aneto picado
 
Preparação:
 
Coza as batatas (não as deixe cozer demasiado).
Escorre-as e coloque-as num pirex.
Corte o bacon em pedaços e  frite-o numa frigideira com azeite até que esteja alourado e estaladiço.
Retire-o com uma escumadeira e deixe-o escorrer sobre papel de cozinha.
Deixe a frigideira arrefecer e acrescente o vinagre. Mexa-o na frigideira para que se misture com o azeite deixado pelo bacon.
Regue as batatas com este preparado, junte o aneto e o bacon e mexa cuidadosamente de modo a não partir as batatas.
 
Nota : Estas batatinhas serviram de acompanhamento a uns deliciosos e finissimos bifinhos de perú.

 

Lenda do chá... porque nem todos são amantes de café

E porque nem todos gostam de café, depois da lenda dessa deliciosa bebida (para mim), aqui fica a lenda do chá.
 

Existem muitas lendas e mitos no que respeita à origem do chá. A mais conhecida conta que a sua origem remonta desde há 5000 anos, na China, aquando do reinado do Imperador Sheng Nong, um governante justo e competente, amante das artes e da ciência e conhecido como o Curandeiro Divino. O Imperador, preocupado com as epidemias que devastavam o Império do Meio, decretou um edital que exigia que todas as pessoas fervessem a água antes de a consumirem.
Certo dia, quando o governador chinês passeava pelos seus jardins, pediu aos seus servidores que lhe fervessem água, enquanto descansava debaixo da sombra de uma árvore. Enquanto esperava que a água arrefece-se, algumas folhas vindas de uns arbustos caíram dentro do seu copo, atribuindo à água uma tonalidade acastanhada. O Imperador decidiu provar, surpreendendo-se com o sabor agradável. A partir deste momento ficou adepto do chá, induzindo o seu gosto ao seu povo. 
Como cada lenda ou mito costuma ter sempre alguma parte de verdade, esta não é excepção. É sabido que a origem do chá remonta ao período imediatamente antes da ascensão da Dinastia T'ang ao poder, entre os anos 618 e 906. 
Esta Dinastia assistiu à difusão de uma bebida feita pelos monges budistas. Esta bebida, vinda dos Himalaias, era proveniente do arbusto do chá, de nome científico Camellia Sinensis, que crescia em estado selvagem nesta cordilheira asiática.
Segundo os relatos do monge budista japonês Ennin, durante uma viagem ao Império do Meio, por volta do século IX, o chá já fazia parte dos hábitos dos chineses. Na mesma época, um monge budista chinês, de nome Lu Yu, escreveu o primeiro grande livro sobre chá, chamado Ch'a Ching, onde são descritos os métodos de cultivo e preparação usados no Império.
Foi então que o chá começou a avançar para o Ocidente, através da Ásia Central e da Rússia. No entanto, só quando os portugueses chegaram ao Oriente, nos finais do século XV, é que se começou a conhecer verdadeiramente o chá.
Nesta época, as naus portuguesas traziam carregamentos de chá até ao porto de Lisboa, ponto de onde, a maioria da carga, era depois reexportada para a Holanda e a França. Portugal rapidamente perdeu o monopólio deste comércio, apesar de ter sido um sacerdote jesuíta português o primeiro europeu a escrever sobre o chá.

Lenda do café .... gostei

Olá a todos. Acabei de ler na página da Bicafé, a lenda do café.
Gostei e partilho-a com vocês. Espero que gostem.


"Como o café foi descoberto

Conta a lenda que há mais de 1300 anos, na Etiópia, um pastor chamado Kaldi reparou que as suas cabras ficavam bastante excitadas depois de comerem determinadas bagas vermelhas.

Para descobrir porquê, decidiu então levar essas bagas a um mosteiro, onde os monges decidiram cozinha-las. Depois de as provarem, consideraram-nas tão pouco saborosas que decidiram atirar ao fogo o que sobrou.
Mas os grãos, à medida que se queimavam, libertavam um agradável aroma!
Então, os monges decidiram experimentar preparar uma bebida com os grãos torrados e ficaram fascinados com o resultado. E assim nasceu o café!"





Partir o Coco...literalmente !!

Ontem comprei uma coisa que adoro mas que  nunca me tinha dado para comprar. Talvez por ser muito duro e ter receio de não conseguir partir em casa. Falo do Coco. Mas, uma publicação de um doce pela Susana Machado , deixou-me com a vontade mais aguçada, não só de comprar coco mas também de experimentar fazer a sua mousse de manga e coco .
Até que foi fácil pois primeiro furei a casca naqueles buraquinhos que já vêm no coco, escorri-a para um copo, filtrei-a e guardei no frigorífico numa garrafinha de vidro, e depois com um cutelo (e com muito receio-o à mistura - não fosse a minha mão ser atingida), consegui rachar e separar o coco em 2 partes.
Aqui fica então o resultado final de um coco no fim de partido e a polpa tirada a metade.
De salientar que este conteúdo já desapareceu quase por completo pois eu encarreguei-me de o comer.
 

Arroz de marisco

Olá a todos. O Fim-de-semana acabou não é? Pois, dizem e é verdade, que o que é bom acaba depressa.
O jantar de ontem cá por casa foi arroz de marisco, e o das crianças foi tranches de pescada no forno com batata.
E o vosso?
Deixo aqui a receita para 4 pessoas, embora eu tivesse feito só meia dose.

Ingredientes :
 
- 250 gramas camarão
- 1100 gramas água
- 50 gramas azeite Oliveira da Serra
- 1 cebola
- 1 dente de alho
- 100 gramas tomate
- 0,5 pimento verde ou vermelho
- 250 gramas de arroz agulha Bom Sucesso
- 400 g mistura de marisco
- 2 caldos de marisco
- Coentros q.b.
  

Preparação :

Faça o fumet com as cascas, as cabeças do camarão, 500 g água e programe 5 minutos, temperatura 100ºC, velocidade 3. Coe com o cesto e reserve o caldo.
Com o copo limpo coloque o azeite, a cebola, o alho, o tomate, o pimento e pique 5 segundos na velocidade 5.
De seguida programe 5 minutos, temperatura varoma, velocidade 1.
Junte o fumet reservado, o arroz, a mistura de marisco, o camarão reservado, a água restante, os caldos de marisco, e programe 18 minutos, temperatura 100ºC, velocidade colher .
A meio da cozedura, retire a tampa e com a ajuda da espátula, solte o arroz que está no fundo do copo.
Rectifique os temperos e polvilhe com coentros picados.